THE ARRIVAL E A ARTE DE SHAUN TAN

Imagens retiradas do próprio livro (por Shaun Tan)

Por: Vanessa Vergne

Aos amantes de quadrinhos, ilustração e artes visual, a obra do famoso ilustrador e autor australiano Shaun Tan: The Arrival, mostra-se bastante interessante.

O álbum conta a história de um imigrante que sai de sua cidade natal, deixando sua família para ir a um outro lugar. A história é bem clichê, quando se pensa em histórias que abarcam essa temática de imigração, no entanto, a forma como ela é conduzida pelo autor que impressiona.

O livro demorou cinco anos para ser feito, partindo de motivações pessoais de Shaun, e lembranças de parte da história de sua família. A narrativa tem um ritmo lento, e foi toda desenhada a mão, apenas com tons de cinza e sépia, o que dá uma impressão de coisas antigas, álbuns de fotografia.

Os aspectos gráficos são de impressionar, desde a construção dos personagens até fotos que sugerem movimentos. A ausência de traços ao redor das imagens, bem presentes em quadrinhos de heróis, dá um teor realista ao desenho. A concepção de todo o universo fantástico em que a história se passa, com criaturas estranhas, munidas de estéticas que dialogam com o grotesco. São lugares que ora lembram cidades comuns, ora remetem a cenários de filmes de ficção científica e Sci-fi.

A paleta de cor usada, é um recurso bem recorrente quando se trata de contar histórias que remetem a coisas antigas, memórias, e um pouco incomum quando se observa a trajetória das obras de Shaun, que tem uma forte ligação com a pintura e o recorrente uso de cores. A escolha da paleta cromática, além de ter casado muito bem com a temática e a atmosfera criada pela história, foi utilizada como uma estratégia de cortes de custos na produção do livro, já que ele seria produzido de forma independente pelo próprio autor.

A trajetória do personagem principal é contada sem nenhum tipo de fala, ou legenda, somente por imagens, com um ritmo de leitura lento, que exige um certo empenho contemplativo, de maior observação. Essa característica da narrativa, proporciona ao leitor uma ênfase no potencial de expressão do autor, muito conhecido por tentar transformar sensações e sentimentos em figuras.

A arte é muito sensível, e nos leva mesmo a entrar no universo da imigração, e das experiências materiais e sensoriais vividas por uma pessoa que sai de um lugar, rumo a um outro completamente desconhecido, deixando sua família para trás.

É possível fazer referência, a todo tempo, a momentos decisivos na formação de nações e grandes Estados ao redor do planeta, já que o fluxo migratório é um fato permanente na história do mundo. Quando há tragédias, fome, genocídios, guerras, haverá sempre pessoas que vão e vem, a procura de um lugar, de se encontrar, de um novo ideal, novas possibilidades, ou apenas para fugir. O mais importante mesmo nesse livro é mergulhar na narrativa e deixar as sensações fluírem através das imagens que são, realmente, incríveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *